Entenda mais sobre as modalidades da ginástica olímpica

ginástica olímpica
5 minutos para ler

A ginástica olímpica ou artística envolve diversos exercícios corporais, que misturam precisão, habilidade técnica e um toque artístico. Essa modalidade tem sido a escolha de vários atletas que se destacam em competições brasileiras e internacionais. Mas você sabia que não existe apenas uma modalidade?

Há diversos equipamentos, requerimentos e modos de apresentação. Desse modo, o melhor é conhecer quais são as principais alternativas — inclusive, para selecionar a sua preferida. Na sequência, veja quais são as modalidades da ginástica olímpica e explore tudo sobre o esporte!

A história da ginástica olímpica

As origens da ginástica remetem à Grécia Antiga, pois ajudava no desenvolvimento corporal. Com a conquista por parte do Império Romano, o hábito foi incorporado à outra civilização, principalmente na preparação dos exércitos. Com o declínio do império, a atividade também perdeu força.

Foi no século XVIII em que a ginástica passou por uma modernização, com a incorporação de novos exercícios. Na Alemanha do início do século XIX, ela floresceu. Em 1896, aconteceram os primeiros Jogos Olímpicos e a ginástica masculina já fazia parte. Em 1936, foi a vez de a modalidade feminina ter início. Desde então, a atividade se tornou uma opção bastante popular.

As modalidades da atividade

Diversa e repleta de opções, a ginástica olímpica aparece em vários tipos, inclusive em grupo. Em relação às individuais, dividem-se entre as opções masculina e feminina e ainda têm outras modalidades. A seguir, confira quais são!

Feminina

  • A ginástica feminina está entre as mais populares da atualidade, embora só tenha se tornado possível muito depois da versão masculina. Para as mulheres, foram criadas ou adaptadas algumas atividades, como:
  • barras paralelas assimétricas: o aparelho conta com duas barras, uma de 2,3m de altura e a outra 1,57m. Ambas têm 2,4m de largura e a ginasta deve se movimentar entre as barras, sem que ocorra a queda.
  • salto sobre mesa: com direito a 3 tentativas de corrida, a ginasta pode percorrer uma distância de até 25 metros, para que chegue ao trampolim e faça giros ou piruetas sobre a mesa. A aterrissagem deve acontecer na área indicada, com suavidade.
  • solo: com uma música ao fundo, a atleta deve realizar saltos, movimentos acrobáticos e demais passos. A duração é de 70 a 90 segundos e cada movimento tem valores de acordo com as dificuldades e
  • trave de equilíbrio: a 1,25m do chão e com 5 metros de comprimento, a trave deve ser percorrida com movimentos técnicos e acrobáticos, com toda a extensão aproveitada. A queda do cavalo gera descontos e a saída também é avaliada.

Masculina

ginástica olímpica

Já as atividades de ginástica olímpica da parte masculina estão muito associadas à força física e equilíbrio — sem deixar de lado a parte técnica, como movimentos obrigatórios. Confira quais são as modalidades existentes:

  • argolas: duas argolas com fitas são posicionadas a 2,55m do chão e o ginasta deve realizar posições de equilíbrio e estabilidade. O objetivo é conseguir executar os movimentos, sem mexer na argola;
  • barra fixa: em uma barra suspensa a 2,55m, o atleta deve executar giros e movimentos, com uma ou ambas as mãos. A aterrissagem deve ser suave e realizada na área indicada;
  • barras paralelas: as barras são posicionadas lado a lado e o ginasta deve realizar movimentos suspensos, como giros e atos de manter o equilíbrio. Os pés não devem tocar o chão, que fica a 1,75m;
  • cavalo com alças: nessa modalidade, o ginasta só pode encostar as mãos no aparelho, que serve de apoio para que faça movimentos circulares e em forma de tesoura. Tem 1,60m de comprimento e fica a 1,05m de altura;
  • salto sobre mesa: posicionado a 1,35m de altura, o atleta deve tomar impulso na área indicada e fazer o salto previamente comunicado aos juízes e
  • solo: realizado de maneira individual, dura de 50 a 70 segundos e envolve saltos e piruetas com diferentes pontuações. Ao contrário do feminino, não tem música de fundo.

A vestimenta ideal para a realização

Cada competição de ginástica olímpica apresenta regras específicas sobre cores, emblemas e peças de vestuário. No entanto, algumas recomendações são comuns a todos os casos — e o mesmo vale para ensaios, treinos e aulas.

O collant é a peça preferencial para as mulheres e pode ser usado com ou sem meia. A presença de sapatilha para ginástica olímpica costuma ser opcional. No caso dos homens, é comum o uso de camiseta especial, a qual pode ser associada a short ou calças de tecidos flexíveis. O uso de meias ou sapatilhas também é opcional.

Com esse conteúdo, ficou mais claro de entender como funciona as modalidades olímpicas e a importância de ter uma vestimenta adequada para a participação, não é mesmo? Esteja atenta aos detalhes e sempre se atualizando sobre o assunto, caso ocorra alguma mudança.

Se você tem interesse em dança, não pode deixar de conhecer o checklist da bailarina. Aproveite para entender, o que você precisa ter para ser uma bailarina.

sapatilha-de-pontaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

-