Como funciona o método Royal no ballet? Entenda tudo no texto

método royal
6 minutos para ler

O ballet é uma dança clássica que conta com movimentos bonitos, leves e delicados, mas com diferentes níveis de dificuldade. As apresentações são verdadeiros espetáculos, e os bailarinos conseguem demonstrar toda sua desenvoltura em movimentos corporais.

Há quem ame tanto esse estilo que decide se profissionalizar na área. Existem escolas espalhadas pelo mundo todo com o objetivo de formar e desenvolver pessoas nos mais diversificados graus da modalidade. Umas das mais emblemáticas é a Royal Academy Of Dance, conhecida pelo famoso método Royal.

Neste texto, reunimos informações sobre o surgimento dessa famosa escola, os critérios usados nos exames e também detalhes sobre o renomado método. Continue a leitura até o final e fique por dentro!

O que é o método Royal no ballet?

Com o lema de oferecer oportunidades de dança e aprendizado para todos, o método Royal utiliza os braços como a base de força. A execução correta é aliada para saltos, giros, equilíbrios e a sustentação. Também é bastante trabalhada a relação entre o espaço físico do corpo, utilizando bastante o auxílio do parceiro de dança. A técnica é bem elaborada e dividida em Syllabus, ou seja, tudo é ensinado de forma leve, fazendo com que o aluno não se sinta pressionado a aprender.

O método surgiu na Royal Academy of Dance, que completa 100 anos no dia 31 de dezembro de 2020. A escola iniciou os seus trabalhos como Associação de Professores de Dança da Grã-Bretanha, em 1920. Ela nasceu depois de uma reunião dos seus principais profissionais, organizada por Philip Richardson, ex-editor do Dancing Times.

Adeline Genée, que foi escolhida como a primeira Presidente, lançou em seu primeiro ano no cargo as diretrizes que são base do método, junto aos professores contratados, montando o currículo da escola. No ano seguinte, já estavam sendo realizados os exames de audição.

O grupo cresceu e foi ganhando influência, representando as principais técnicas e práticas da época. Dezessete anos depois, seu sucesso foi tanto que recebeu o selo real. Em 1936, após um conselho privado com o Rei Jorge V, se tornou a Real Academia de Dança.

A escola atualmente 

A patrona da Royal Academy of Dance é a Rainha Elizabeth II e o atual presidente é Dame Darcey Bussel. Segundo o site oficial, a instituição conta com 13 mil membros e está presente em 89 países, com escritórios em 36 deles. Os exames são reconhecidos pelo Ofqual, que é um departamento do governo responsável por regular as qualificações, provas e testes na Inglaterra. O seu ensino superior é igualmente avaliado pelo Office for Standards in Education, departamento do Reino Unido que define os padrões de qualidade na educação.

Em uma inspeção recente, eles constataram que a RAD fornece uma excepcional formação inicial de professores e contribui em muitos pontos da UCAS, serviço de admissão de Universidades e Faculdades Inglesas. Segundo dados, existem mais de 1 mil alunos atuando nos programas de treinamento para professores de dança, que é aplicado em tempo integral ou em regime de meio período.

Como funcionam os exames?

método royal

A escola tem grande variedade de provas e avaliações, recebendo candidatos das mais diversas idades, dos 2 até os 60 anos. Os exames são aplicados a cada semestre ou anualmente e são coordenados por uma banca de fora da instituição.

Para crianças a partir dos 2 anos e meio foi desenvolvido o “Dance to Your Own Tune”, que na tradução livre significa dance no seu próprio tempo. Ele não se trata exatamente de um exame, e sim de uma aula de apresentação sem notas, na qual um professor conduz e os pais são permitidos assistir. A partir dos 5 anos, são ofertados os níveis pré e primário, que já contém critérios de avaliação.

Nele as crianças são convidadas a se expressarem com confiança, trabalhando as habilidades já utilizadas e dando ênfase no desenvolvimento dos pequenos. A parte de graus ou estágios é acessível a crianças de 1 a 8 anos. Muitos bailarinos adultos iniciaram nessa etapa, gerando uma boa base para o desenvolvimento da dança.

A partir dos 11 anos, é possível acessar as etapas seguintes, que exigem maturidade e confiança por parte do participante. A fase é conhecida por estimular o crescimento da técnica e expressão artísticas dos candidatos. Também é a partir desse limite de idade que são aplicados os exames intermediários e avançados, que se dividem em:

·        Intermediate foundation — no mínimo 11 anos;

·        Intermediate — a partir dos 12 anos;

·        Advanced Foundation — 13 anos;

·        Advanced 1 e 2 — 14 e 15 anos, respectivamente.

A idade mínima permitida para o fazer o Solo Seal, exame de grau máximo da academia, é 15 anos. Essa é a etapa em que bailarinos, que são avaliados e classificados com elevado nível técnico, apresentam suas coreografias clássicas e neoclássicas no teatro. Geralmente, eles contam com o acompanhamento de uma pessoa tocando piano.

Como são os requisitos e certificados?

Para fazer algumas provas, é necessário que os candidatos atendam a critérios básicos, como é o caso da Advanced Foundation e Advanced. Nelas o participante precisa ser aprovado no Intermediate e, na etapa dois, é preciso que passe pelo Advanced. Uma outra regra da RAD é que, para se candidatar ao solo, a pessoa precisa ter passado nas etapas anteriores com, pelo menos, 75% dos pontos.

Além disso, os níveis têm especificações próprias para a pontuação. Elas ficam disponíveis no site da Royal para tirar todas as dúvidas sobre o que é esperado dos participantes. Nos certificados, os alunos recebem três tipos de notas:

·        pass — 40% a 54% do total;

·        merit — 55% a 74%;

·        distinction — 75% a 100%.

Quem é aprovado recebe um certificado, junto a uma tabela com as notas detalhadas e uma medalha referente ao nível de conclusão. No método Royal os professores estruturam suas aulas de acordo com o pacote de apostila, CD e vídeos da Syllabus, que contém toda a matéria.

O curso é separado em 3 partes: clássico, movimento livre e caráter, que tem o objetivo de preparar os estudantes para os diferentes tipos de ritmos e sensações. Uma das características marcantes nesse tipo de ensino é o fato de os professores estimularem os participantes a irem além do material dado para que consigam alcançar o ápice do entendimento. Dessa forma, eles fazem a apreciação e a execução do ballet clássico e chegam aos mais altos níveis de aprendizado.

Como você viu, o método Royal, desenvolvido pela academia de inglesa, é um dos mais importantes voltados para a profissionalização do ballet.

E aí, gostou do conteúdo? Então, compartilhe em suas redes sociais para que outras pessoas tenham acesso a essa informação!

sapatilha-de-pontaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

-